Cérebro é “enganado” pela emoção ao tomar decisões

Dizem que o ser humano é o único animal racional. No entanto, cientistas que já ganharam até Prêmio Nobel discordam em parte. Por meio de experimentos eles demonstraram que muitas decisões que tomamos são mais emocionais do que guiadas pela razão. Vou fazer uma pergunta feita pelo pesquisador Daniel Kahneman, a você, leitor:

Se você fosse comprar um som para seu carro, em uma loja vizinha da sua casa ele custa R$ 400, mas o aparelho custa R$ 100 a menos do que em uma loja que fica a uma hora da sua casa. Você iria até o local mais barato comprá-lo quando estivesse de folga?

A questão foi proposta para estudantes das melhores universidades dos Estados Unidos e a maioria respondeu que sim, iria adquirir o som por R$ 300 no local mais distante. Outra pergunta semelhante foi feita a eles, desta vez a situação hipotética é que a pessoa iria comprar um carro. Na mesma loja, do lado da casa do comprador, o veículo custa R$ 25.000, já na concessionária que fica a uma hora do local onde ele mora, o valor é R$ 24.900. Daí, a questão:

Você iria na mesma loja em que comprou o som por menos, que fica a uma hora de sua casa, comprar o carro por R$ 24.900 em um dia de folga?

A maior parte dos universitários disse que não.

A resposta é irracional, já que a pessoa economizaria os mesmos R$ 100 e gastaria o mesmo tempo para chegar à concessionária com melhor preço. Nesta situação, quem foi questionado pensou num comparativo com o valor total, assim, a economia tornaria-se irrelevante. Mas um trabalhador leva o mesmo tempo para ganhar os R$ 100, independente de como irá gastá-lo.

Assim, é preciso tomar cuidado para não cair nas ilusões que nosso cérebro cria. Uma dica é pensar com calma sobre as escolhas importantes, se possível, adiar a decisão para o dia seguinte quando as ideias vão parecer mais claras.

Cérebro é “enganado” pela emoção ao tomar decisões
Rate this post
Tags: